Três centros de produção da PSA Peugeot Citroën fundidos num pólo industrial Vigo-Mangualde

1

A PSA anunciou a cisão num único pólo das unidades fabris de Vigo, Madrid e Mangualde, onde são produzidos diversos modelos das marcas do grupo – Peugeot e Citroën. A estratégia inerente à criação do pólo Vigo-Mangualde é de otimizar o preço de fabrico, por forma a reforçar a competitividade e o “dispositivo industrial do grupo na Península Ibérica”.

Com esta fusão no pólo Vigo-Mangualde, o grupo procura otimizar o preço de fabrico, reforçar a competitividade e o “dispositivo industrial do grupo na Península Ibérica”A PSA Peugeot Citroën decidiu agrupar os centros de produção de Vigo, Madrid e Mangualde. Os três centros passam a agrupar-se no Polo Industrial Península Ibérica, anunciou a unidade portuguesa.

Neste sentido, o centro de produção de Madrid da PSA junta-se ao pólo Vigo-Mangualde, de forma a “reforçar a sua competitividade”, aponta em comunicado. Como acrescenta, a criação deste pólo “reforçará o dispositivo industrial do grupo na Península Ibérica”.
Yann Martin foi nomeado responsável pelo Pólo Industrial Península Ibérica, dependendo de Juan Antonio Muñoz Codina, diretor industrial e supply chain Europa. Os diretores dos centros de Madrid, Oscar Fernández, e de Mangualde, Hamid Mezaib, mantêm as responsabilidades nas suas fábricas na dependência do responsável do pólo Yann Martin.

As fábricas que constituem este pólo produziram 492.000 veículos das marcas Citroën e Peugeot em 2014, com um total de 9.300 trabalhadores.
Nas três fábricas são produzidos sete modelos distintos. No centro de Mangualde são produzidos o Citroën Berlingo e Peugeot Partner. Em Madrid é produzido o Citroën C4 Cactus e, por fim, em Vigo são produzido o Citroën C4 Picasso, Grand C4 Picasso, Berlingo, C-Elysée e Peugeot Partner e 301.
Este anúncio vem “confirmar e reforçar as oportunidades que pretendemos desenvolver para os fornecedores portugueses”. Neste sentido, a empresa desenvolveu uma jornada, na passada sexta-feira, com a direção de compras do grupo PSA, AICEP e 40 fornecedores.

Para o diretor de compras e equipamentos de veículos Jean Baptiste Formery, para a PSA é “vital ter preços de fabrico no seu melhor nível em termos de competitividade, para o qual o grupo está a trabalhar intensamente para melhorar a eficiência das suas fábricas”. O responsável sublinhou ainda a importância dos custos de aquisição, lembrando que “as compras podem representar até 80% do custo de fabrico de um carro”.

De forma a assegurar que as suas fábricas são fornecidas ao menor custo total para cada tipo de peça, com um bom compromisso entre os custos de produção e custos de logística, a PSA Peugeot Citroën estabeleceu como prioridade a Península Ibérica, Magreb, Europa Ocidental e Ásia. Para o projeto de K9, o responsável lembrou que “o objetivo é chegar entre 80% e 95% nas proximidades” (Galiza, Espanha, Portugal e Marrocos).

Fonte: Logística Moderna

Share.
Saiba mais sobre:   Artigos, Atualidade

Leave A Reply