Será a gestão da mobilidade a nova gestão de frotas?

0

A pergunta é colocada pela Fleet Magazine na sequência do encontro “ALD Cidades em Movimento”, em Lisboa. Organizado pela ALD Automotive para clientes e parceiros, o evento apresentou a mobilidade versátil como tendência e futuro provável para as frotas empresariais.

A revista ilustra de forma mais precisa aquela que é uma das principais conclusões do encontro: “A gestão de frotas das empresas vai passar a ser gestão da mobilidade, dado que a utilização da viatura individual será cada vez menor. A eficiência das deslocações dos colaboradores poderá então passar por outras soluções, como carsharing ou mesmo bicicletas.” Assim, é pertinente pensar que, no lugar de uma viatura da empresa, muitas firmas passarão, futuramente, a alocar um “orçamento de mobilidade” aos seus colaboradores, ficando à responsabilidade destes a sua gestão consoante o(s) meio(s) de transporte que preferem (ou precisam de usar).

A ALD Automotive está atenta às tendências e necessidades do tecido empresarial e já prepara a diversificação de soluções, não se cingindo ao atual negócio, que tem por base o aluguer de viaturas e gestão de frotas automóveis. Pilar Madeira, gestora de produto da locadora, vai mais longe: “Os nossos clientes vão ser todos os colaboradores das empresas, quer tenham carro ou não.”

Por isso mesmo a empresa de leasing e renting já promove a multimobilidade em países como a Holanda, enquanto noutros desenvolve experiências relacionadas, como por exemplo a inclusão de uma bicicleta em cada viatura contratada. Já em Portugal “as experiências mais avançadas são o ALDProFleet, onde é possível ter acesso à informação da frota, e o ALD Sharing, de partilha de viaturas.”

A motivação por detrás desta estratégia é outra tendência verificada nesta área: a redução progressiva dos custos com a mobilidade dos colaboradores, a qual é possibilitada pelos avanços tecnológicos introduzidos nas viaturas e serviços com elas relacionados.

Para lá da diversificação e aumento da eficiência da mobilidade, o maior desafio será educativo e de mudança de mentalidades, nomeadamente através do desenvolvimento de atividades de teambuilding e dinâmicas de grupo. A Fleet Magazine dá como exemplo de sucesso destas estratégias o caso da ANA Aeroportos ”que conseguiu reduzir 53% as viagens de carro individuais em dois meses através do From5to4, um desses jogos de mobilidade, neste caso promovido pela EU.”

Uma mudança de mentalidades e comportamentos que, se operada com sucesso, pode revelar-se benéfica a longo prazo não só para o bolso das empresas, mas também para o ambiente, a saúde dos colaboradores e os fluxos de trânsito.

Fonte (imagem): ALD Automotive

Share.

Leave A Reply