SCUT: A opinião de Marcelo Rebelo de Sousa

0

Marcelo Rebelo de Sousa respondeu, no seu comentário habitual no Jornal Nacional da TVI, a três perguntas dos espectadores. As portagens nas SCUT mereceram a atenção do professor. Conheça a sua opinião.

«Concorda com as portagens das Scut a Norte?», pergunta de Margarida Guedes

Resposta: «Rui Rio tem tomado várias posições sobre essa matéria e os utentes têm uma comissão que se tem manifestado e tem prometidas mais manifestações. Há, agora, uma grande esperança que no dia 1 de Julho a oposição toda junta chumbe os chips das matrículas. Ao chumbar, acaba por tornar difícil o sistema de controlo que está pensado para o pagamento das portagens.

A minha posição sobre isso é velha, é de 1997. Eu era líder do PSD e fui contra as SCUT. Era a moda do senhor Blair, aqui era a moda de Guterres e de Cravinho. Achavam que era uma grande descoberta, porque pensavam que se faziam auto-estradas, os utentes não pagavam aparentemente, mas iriam pagar os contribuintes, porque quem pagava era o Estado. A diferença é que nas SCUT não há portagens, a quantia é paga directamente pelo Estado às concessionárias, de acordo com os cálculos da evolução do trânsito. Só que isso começa a pesar. Não pesou nos primeiros anos, mas chegou mais tarde, cerca de 2003/04. Há que reconhecer, que foi no Governo de Santana Lopes, pois teve o mérito de pensar em terminar com o regime das Scut.

Agora, tem de se definir se se continua com este regime. Deve continuar haver SCUT ou não? Se há SCUT, quer dizer que há algumas portagens em que se paga e outras que não. Agora, o governo transforma as do Norte em auto-estradas, logo com portagens. Mas é preciso explicar, porque se for global temos de entender. Se não é em todo o sítio, tem de explicar. Isso ainda não foi bem explicado».

in Diário IOL

Share.
Saiba mais sobre:   Entrevistas

Leave A Reply