Ministério dos Transportes disponível para diálogo com transportadoras

0

O Ministério dos Transportes diz existir “todo o interesse” em prosseguir o diálogo com a Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas, que iniciou protestos hoje, segunda-feira. “Há todo o interesse em que o diálogo prossiga”, disse à Agência Lusa fonte oficial do Ministério das Obras Públicas e Transportes, escusando-se a fazer mais comentários.

A ANTP aprovou, no sábado, a realização de uma paralisação nacional no dia 7 de Junho e anunciou que a partir de hoje, e até quarta-feira, os camionistas deverão conduzir a 40 quilómetros por hora. A meio da manhã, o presidente da ANTP, Silvino Lopes, disse à Lusa que a associação se mantém “disponível para o diálogo”, mas considerou que a ausência de resposta por parte do Ministério dos Transportes está a “gerar algum desconforto” nas transportadoras.

“Estamos disponíveis para o diálogo, tal como estávamos a 5 de Maio quando entregámos o caderno reivindicativo. Estamos preocupados com as causas que motivaram este protesto, mas não estamos preocupados com as consequências”, disse.

Os associados da ANTP reivindicam do Governo a aplicação da directiva comunitária que permite a redução de oito cêntimos no litro do gasóleo e a alteração da lei das contraordenações.

Exigem, igualmente, a não introdução de portagens nas autoestradas sem custos para o utilizador (SCUT), a redução em 13% do custo das autoestradas para os transportes públicos de mercadorias pesadas e a alteração do Código do Trabalho.

Considerando “prematuro” fazer um balanço da adesão das empresas transportadoras a este protesto, o presidente da ANPT referiu, contudo, que vários camiões circularam já esta manhã uma velocidade inferior à normal em zonas como Vila Franca de Xira, Porto Alto, Aveiras e Pombal.

in FrotaNews

Share.
Saiba mais sobre:   Atualidade

Leave A Reply