Mercado português de comerciais, ligeiros e pesados, afundou em 2012

0

O investimento na aquisição de veículos comerciais, ligeiros e pesados, baixou abruptamente em Portugal em 2012, confirmando a recessão que atravessa a economia nacional. Segundo as estatísticas da ACAP, as matrículas de veículos comerciais ligeiros diminuíram em 54,2 por cento relativamente a 2011, enquanto nos pesados de mercadorias a quebra foi de 29,1 por cento.

Nos camiões, a marca que mais unidades no ano passado matriculou foi a Renault Trucks – 490 –, uma diminuição de 9,9 por cento face a 2011. Em segundo lugar surgiu a MAN, com 275 unidades, tendo sido a única a registar um crescimento nas vendas que foi de dez por cento. O apoio da MAN Finance ao financiamento terá sido decisivo para este desempenho. Em terceiro lugar surge outra marca alemã, Mercedes-Benz, que matriculou 268 unidades, menos 31,8 por cento do que em 2011. A Volvo conseguiu assegurar a quarta posição, com 238 unidades, a Iveco surge na quinta com 191 unidades e a Scania na sexta, com 170 unidades. Quem ainda tem maiores razões de queixa de 2012 é a DAF, cujas matrículas afundaram 74,7 por cento, para 82 unidades.

O mercado de veículos comerciais ligeiros novos também bateu todos os recordes pela negativa, com uma quebra de 54,2 por cento. A marca mais procurada neste segmento também foi a Renault, que comercializou 2.599 unidades, valor que constituiu uma diminuição de 58,5 por cento relativamente a 2011. O pódio é ocupado pelas duas marcas do grupo PSA Peugeot Citroën: a Peugeot matriculou 2.558 unidades e Citroën 2.257 unidades, que correspondeu a uma quebra de 44,2 e 61,3 por cento, respetivamente. Nos lugares imediatos surgem a Volkswagen, Fiat, Toyota, Opel, Mercedes-Benz, Ford e Mitsubishi.

Para 2013, as previsões apontam para valores de vendas em linha com 2012 ou mesmo uma ligeira diminuição.

 

Fonte: Transportes em Revista

Share.
Saiba mais sobre:   Atualidade

Leave A Reply