Leasing e renting registaram quebras em 2009

0

O sector de leasing em Portugal sofreu uma quebra de 34,59% no ano passado, face a 2008, tendo fechado 2009 com uma facturação de 4,247 mil milhões de euros, revela a associação do sector.

Este é o pior resultado desde 1994, o primeiro ano em que o sector começou a ser contabilizado pela Associação Portuguesa de Leasing, Factoring e Renting (ALF), que congrega, actualmente, 44 associados.

«Nada se compara com a crise de 2009», concluiu a secretária geral da ALF, Margarida Ferreira.

No entanto, as perspectivas para este ano são mais animadoras: «No primeiro trimestre de 2010, o leasing sofreu um aumento de 13%», o que deixa antever um ano «menos mau» do que 2009.

«Há ano e meio que as empresas não renovam nada. Mesmo com a crise há gastos que têm de ser feitos como, por exemplo, comprar uma fotocopiadora. Por isso, acredito que o sector do mobiliário deve fechar o ano com um crescimento de 5 a 6 por cento», defende o presidente da ALF, Beja Amaro.

Um optimismo que pode ser alvo de uma «rasteira»: uma das medidas de austeridade fixadas pelo Governo, cuja entrada em vigor está marcada para 01 de Julho, é a sobretaxa ao consumo e que terá «muito provavelmente» efeitos negativos no sector,como admite Beja Amaro.

Leasing dos carros sempre a descer

Mesmo assim é a área dos equipamentos aquela com maior potencial no negócio do leasing, já que «o peso do mercado automóvel tem vindo a decrescer e representa, apenas, 30% do sector», como acrescenta Beja Amaro.
Embora este modelo seja o favorito das pequenas e médias empresas na hora de adquirir veículos ou equipamentos, o leasing ganha maior peso entre os veículos pesados ou materiais para obras.

Uma das críticas, aliás, da ALF é sobre o facto do «governo português recorrer pouco ao leasing». Pelas contas da Leaseurope, Portugal ocupa o 12º lugar no ranking europeu, com o sector público a pesar apenas 1,64% da produção em leasing.

Também o sector do renting já viu melhores dias: em 2009 que sofreu uma quebra de 26,99%, em comparação com o ano anterior, tendo firmado contratos no valor total de 508 milhões de euros.

Este modelo de crédito especializado é semelhante ao leasing, mas o produto fica sempre na posse da empresa de renting. Este é o escolhido pelas grandes empresas que precisam de viaturas de serviço. No total, do conjunto de novos automóveis comprados em 2009, 26,3 mil foram adquiridos em renting.

Já nos primeiros três meses, este sector registou um aumento na produção de 1,3%.

Só mesmo o factoring, actividade que consiste na tomada de créditos a curto prazo por uma instituição financeira para a cobrança a devedores de outra empresa, não deslizou com a crise: «Este produto financeiro apresentou um aumento de 0,44% com uma facturação de 23,5 mil milhões de euros».

in Agência Financeira

Share.
Saiba mais sobre:   Atualidade

Leave A Reply