LeasePlan revela as 7 verdades da gestão de frotas “à portuguesa” no estudo Car Policy Benchmark

1

A LeasePlan Portugal apresentou esta semana, no Hotel Lagoas Park, em Oeiras, os resultados do estudo Car Policy Benchmark. A investigação contou com a participação de mais de três centenas de gestores de frotas e divulga informação de relevo sobre o modo como estão estruturadas as Políticas de Frota Automóvel em diversos setores de atividade. De entre as várias constatações patentes no Car Policy Benchmark, sobressai aquela que é a prioridade para a generalidade dos gestores de frota: a redução de custos.

Com este estudo a LeasePlan pretende, por um lado, avaliar políticas de gestão de frota, fazendo um ponto de situação, e, com isso, contribuir para a promoção de melhorias estratégicas nessa atividade em Portugal.

“Estudos de Benchmark como este são fundamentais para promover melhorias, não só nos planos de ação de cada cliente, consoante a estratégia e setor de atividade, mas também no próprio serviço que a LeasePlan presta, de modo a irmos ao encontro das preferências e necessidades dos nossos clientes”, refere Pedro Pessoa, Diretor Comercial da LeasePlan.

Foram inquiridos 347 gestores de frota através de um questionário online que permitiu recolher informação de relevo sobre onze setores de atividade, em particular sobre os setores de Distribuição e Serviços, Indústria, Telecomunicações e IT, e Construção Civil e Turismo. Somadas, as frotas das empresas participantes, a frota total abrangida por este inquérito é composta por 32.000 veículos.

Do estudo retiram-se conclusões-chave que ajudam a compreender as tendências e o modo como estão estruturadas as prioridades das políticas de frota das empresas. Estas conclusões podem ser resumidas em sete” verdades”.

As 7 verdades da gestão de frotas “à portuguesa”

  1. A prioridade para os gestores de frota é neste momento reduzir os custos diretos e indiretos com as suas frotas;
  2. As empresas tendem a assumir quase na totalidade os custos com as suas frotas. No que respeita a custos de combustível, portagens e sinistros observa-se em alguns casos uma partilha dos mesmos com os colaboradores;
  3. As frotas geridas em Renting têm, na sua maioria, incluídos os serviços de Manutenção, gestão de pneus, veículo de substituição e seguro. O combustível e portagens tendencialmente são geridos pelas empresas;
  4. A liberdade de escolha de um veículo aumenta de acordo com os níveis hierárquicos das empresas e os plafonds para seleção de veículos são maioritariamente estabelecidos em valor de renda;
  5. As decisões estratégicas e operacionais da gestão de frota estão mais frequentemente na Direção Financeira;
  6. 88% das empresas têm uma Política de Frota escrita e publicada e a abrangência dos seus conteúdos está diretamente relacionada com o tamanho da frota;
  7. O período de utilização de um veículo empresarial é normalmente 4 anos e as frotas são maioritariamente (75%) compostas por veículos de passageiros.

A partir dos resultados agora obtidos, a LeasePlan pretende avaliar os vários aspetos relacionados com a política de frota das empresas, no sentido de desenvolver planos de ação de melhoria, de acordo com a estratégia de cada empresa e setor de atividade.

Proteja a sua frota automóvel e não a perca de vista.

Share.
Saiba mais sobre:   Gestão de Frotas

1 comentário

  1. Pingback: 4.ª Conferência Gestão de Frotas acontece já em novembro

Leave A Reply