Crise afectou venda de comerciais de mercadorias

0

A crise económica verificada em 2009 teve efeitos desastrosos no mercado dos comerciais, muito em particular, na categoria dos furgões de mercadorias. Os números são claros: o ano passado, este segmento sofreu uma queda na ordem dos 31,9%, relativamente a 2008.

Perante um cenário económico incerto, a maioria das empresas optou por jogar pelo seguro e por “adiar as suas compras, esperando que 2010 possa ser diferente“, afirma Pedro Paulo Pinto, director do departamento de Veículos Comerciais (VC) da Ford Lusitana ao Negócios. No caso particular da Ford, e neste segmento específico, 2009 foi um ano penoso, mas, ainda assim, permitiu à Transit manter a liderança, apesar de um decréscimo de vendas de 36,5%, graças à comercialização de 1169 unidades do modelo, segundo dados da ACAP.

De referir ainda que, na segunda e terceira posições ficaram, respectivamente, a Mercedes Sprinter, com 769 unidades vendidas e uma variação negativa de 30,2%, face a 2008, e a Renault Trafic, com 565 modelos vendidos e uma descida significativa, cifrada em 31,3%.

Observando o Top 10 dos furgões mais vendidos neste segmento, podemos concluir que as quedas foram todas superiores a 20% e que não houve qualquer variação positiva face a 2008.

Pedro Paulo Pinto acredita que o mercado poderá reanimar já em 2010. O acumulado entre Janeiro e Março parece confirmar estas expectativas, apontando para uma tendência de subida de 19,6%, muito embora a comparação seja feita com o “fatal” primeiro trimestre de 2009.

O responsável dos VC da Ford Lusitana justifica a procura que a Transit continua a ter junto do público com a “durabilidade e com a economia de manutenção”, características fundamentais da marca para a tomada de decisão das empresas no momento da compra do modelo.

in Jornal de Negócios

Share.
Saiba mais sobre:   Atualidade

Leave A Reply