Como identificar motoristas perigosos

1

A gestão de riscos é uma das mais importantes funções de uma empresa. O risco pode tomar várias formas, como dívidas e novos funcionários.

É este último risco que diz respeito aos gestores de frota. Contratar funcionários significa confiar-lhes a responsabilidade de conduzir e cuidar de um veículo da empresa, que custou dinheiro, e que se pode tornar uma despesa ainda maior se não for operado com consciência. Assim, o gestor de frota deve acompanhar atentativamente o desempenho dos novos funcionários, tendo em atenção os factores de risco.

Factores de risco

Condução agressiva: Não são raros os funcionários se colocam a si próprios e aos outros em risco, conduzindo a altas velocidades e sem respeitar o código da estrada. Este tipo de comportamento é propenso à sinistralidade.

Segurança: Todos os anos, as empresas sofrem prejuízos relacionados com veículos roubados ou vandalizados.

Eficiência: A maioria dos motoristas não trata os veículos da empresa como trata as suas viaturas, incorrendo em velocidades excessivas, provocando um consumo de combustível excessivo e provocando sinistros.

Os gestores de frota devem ter em atenção este tipo de riscos, diariamente. Por exemplo, um elevado número de sinistros pode ser resultado de condução agressiva, pelo que o condutor com maior número de acidentes deve ser confrontado de forma a moderar o seu comportamento. Afinal, nenhuma empresa precisa de um funcionário que apenas gere prejuízo.

Consequências da sinistralidade

Danos físicos: Na ocorrência de um sinistro, a empresa depara-se com uma série de problemas. Primeiro, o veículo danificado não poderá desempenhar o seu trabalho, o que irá prejudicar a empresa. Além disso, a sua reparação irá representar uma factura considerável à companhia.

Danos pessoais: Caso o motorista seja ferido no sinistro, a empresa sofrerá com a perda temporária do funcionário, o que representa um novo prejuízo.

Responsabilidade: Caso existam outros envolvidos no acidente, e a culpa tiver sido do seu funcionário, a empresa terá que pagar a reparação da viatura. Mais uma despesa a pesar na companhia.

Reputação: Ser responsável por um acidente dá má imagem à empresa, que perde assim a confiança dos consumidores e dos parceiros.

Uma das melhores formas para controlar e identificar os condutores de risco é adquirir um sistema de localização GPS e gestão de frotas, que permite acompanhar em tempo real o desempenho dos funcionários, através de relatórios de velocidade e gastos de combustível.

Gestores de frota preocupados com sinistralidade

Por outro lado, conhecer a forma de condução de um motorista antes de o contratar também pode ser uma boa estratégia, segundo defendem gestores de frota britânicos. Estes profissionais defendem a aplicação de testes de condução por computador, para saber se o motorista em processo de recrutamento é ideal para a empresa.

in Business Fleet

Share.
Saiba mais sobre:   Artigos, Gestão de Frotas

Leave A Reply