Camionistas prometem greve por tempo indefinido

0

António Lóios, da Associação Nacional dos Transportadores Portugueses (ANTP), disse que os 1300 empresários do sector “estão preparados para parar os seus camiões, por tempo indeterminado e sem pré-aviso, já a partir do dia 10 de Maio“. De acordo com este responsável, a paralisação dos camionistas – que pode coincidir com a visita do Papa a Portugal – terá consequências “semelhantes ou piores” às do protesto ocorrido em Junho de 2008, que paralisou o País por vários dias.

No entanto, o presidente da ANTP admite que ainda há hipótese de entendimento com o Governo, até 10 de Maio. António Lóios avança ainda que está sensível aos apelos do Governo, mas argumenta que as propostas dos transportadores estimulam a economia. O mesmo responsável diz que as medidas que exigem “em nada vêm beliscar o Orçamento do Estado” e podem ser, pelo contrário, uma forma de o Estado “angariar mais dinheiro”.

Os associados da ANTP reivindicam a aplicação da directiva comunitária que permite a redução em oito cêntimos no preço do litro do gasóleo, a alteração da lei das contra-ordenações, a não introdução de portagens nas SCUT, a redução em 50% do custo das auto-estradas à noite e a alteração do Código do Trabalho.

Ministro diz que greve durante a visita do Papa seria contra-producente

O ministro das Obras Públicas e Transportes considera que marcar greves e protestos por altura da visita de Bento XVI a Portugal apenas iria expor a fragilidade do país e seria até contra-producente. Em declarações ao programa “Terça à Noite”, da Renascença, António Mendonça apelou à responsabilidade.

“Todo o mundo, toda a Europa, todos os operadores, todos os especuladores, todos os agentes económicos estão com os olhos postos em Portugal. Qualquer declaração que se faça, seja de responsável sindical, político ou de uma empresa significativa, é ouvido internacionalmente. Temos de assumir as responsabilidades. Não quero acreditar que se aproveitem da vinda do Papa a Portugal para manifestarem externamente que há instabilidade no país. Isso seria extremamente prejudicial”, disse.

António Mendonça garante que ficará muito “surpreendido” se houver greve de camionistas, até porque ainda há questões em aberto a ser discutidas. O governante acrescenta que os responsáveis das associações de camionistas “têm espírito de diálogo e compreendem a situação que o país atravessa”. Por isso, não acredita que avancem para a greve.

Na entrevista ao “Terça à Noite” da Renascença, António Mendonça admite a privatização ou gestão mista de algumas empresas públicas de transportes que estão com dificuldades financeiras.

A propósito dos protestos por causa do preço da gasolina, o ministro diz que baixar o ISP é “dar um mau sinal”, porque deve ser desestimulado o consumo de combustíveis fósseis.

Já sobre as SCUT (auto-estradas sem custos para os utilizadores) que vão passar a ter portagens, António Mendonça olha para trás e diz que “tem dúvidas se o conceito foi ajustado”.

in DN/RR

Share.
Saiba mais sobre:   Atualidade

Leave A Reply

 

Privacy Preference Center

Estritamente Necessário

Cookies necessários para o correcto funcionamento do site.

GDPR, __stid, __unam, PHPSESSID, __cfduid

Análise Anónima

Estes cookies permitem-nos contabilizar visitas e fontes de tráfego para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Esta é uma ferramenta bastante útil, já que nos ajuda a conhecer as páginas com maior e menor popularidade, assim como a forma como os visitantes utilizam o site.

_ga, _gid, __sharethis_cookie_test__, popupally-cookie-1

Close your account?

Your account will be closed and all data will be permanently deleted and cannot be recovered. Are you sure?