Aumento do IVA levou a corrida aos stands

0

Mercado de ligeiros de passageiros cresceu 62,5% em Junho e vendas do primeiro semestre ficaram 57,7% acima das de há um ano.

O aumento do IVA – que subiu dia 1 de Julho de 20% para 21% para os automóveis – parece ter provocado mais uma corrida aos stands em Junho. O mês fechou com um acréscimo de 62,5% nas vendas de ligeiros de passageiros face a igual período do ano passado, com um total de 26 029 veículos comercializados.

A Associação Automóvel de Portugal (Acap) receia, porém, que a esta antecipação das compras de automóveis novos se sigam igualmente quebras assinaláveis nas vendas ao longo dos próximos meses, à semelhança do que se verificou há exactamente cinco anos. “O mês de Junho de 2005 foi tão forte quanto o de 2010, o que está associado ao aumento da taxa normal de IVA, que subiu de 19% para 21% em 1 de Julho de 2005”, refere o comunicado da Acap, sublinhando que “os meses que se seguiram a esta antecipação de compras denotaram uma quebra considerável nas vendas”.

Nos seis primeiros meses do ano o mercado de automóveis ligeiros de passageiros leva já uma vantagem de 42 158 veículos face ao primeiro semestre de 2009, o que corresponde a um crescimento homólogo de 57,7%. Nem tudo se deve, porém, ao anunciado agravamento do IVA, tendo outras causas contribuído também para este desempenho.

Antes de mais, a comparação é feita com um ano em que as vendas foram anormalmente baixas, devido à crise, tendo sido 2009 o pior dos últimos 22 anos para o sector do comércio automóvel em Portugal, como a Acap tem referido todos os meses a cada novo aumento das vendas. Importa salientar que, apesar de uma antecipação das compras devido ao aumento da carga fiscal a partir de Julho, as vendas do primeiro semestre ficaram apenas 844 unidades acima dos 114 414 veículos registados no mesmo período de 2008.

Por outro lado, para este grande aumento das vendas de ligeiros de passageiros até Junho contribuíram também, e muito, as compras efectuadas pelas empresas de rent-a-car e de gestão de frotas, que em 2009 estiveram praticamente suspensas. Por tudo isto, são de esperar crescimentos mais moderados ao longo do segundo semestre no segmento dos ligeiros de passageiros, devendo o ano encerrar com um aumento das vendas em torno dos 15%, segundo as últimas previsões da Acap, revistas em alta em Abril, o que a confirmar-se resultará num volume de vendas abaixo dos anos anteriores à crise. Na primeira metade do ano, Renault, Volkswagen e Peugeot foram as marcas mais vendidas, com um total de 15 249, 9688 e 9332 unidades, respectivamente, a que correspondendo aumentos de 98,2%, 48,4% e 92,3%.

O mercado dos veículos comerciais ligeiros registou em Junho também uma forte subida, totalizando 4054 unidades, mais 37% do que em 2009, para o que terá contribuído igualmente algum efeito de antecipação com o agravamento do IVA. No acumulado do primeiro semestre, as 21 925 unidades vendidas, embora representem uma melhoria de 24,6% face às 17 595 de há um ano, ficam ainda muito aquém dos 28 610 comerciais ligeiros comercializados na primeira metade de 2008, já para não falar nas 40 690 unidades em 2007.

Já o mercado dos veículos pesados voltou em Junho a registar mais uma quebra (-2,1%), tendo vendido nos primeiros seis meses apenas 1618 unidades, menos 21,2% do que no mesmo período de 2009, que já levava uma quebra de 42,2% face a um ano antes.

in Diário de Notícias

Share.
Saiba mais sobre:   Atualidade

Leave A Reply