A União Europeia pode abandonar combustíveis poluentes

0

A União Europeia pode substituir a gasolina e gasóleo convencionais por energias renováveis sem recorrer a biocombustíveis com impactes negativos no ambiente, como aqueles que aproveitam culturas agrícolas, defende um estudo publicado esta quinta-feira e realizado pelo instituto de investigação holandês CE Delfta.

O documento elaborado a pedido das organizações não governamentais de ambiente europeias Greenpeace, BirdLife Europe, European Environmental Bureau e pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente foi divulgado em Portugal pela Quercus.

O trabalho diz que «os biocombustíveis de primeira geração, aqueles de produção agrícola, não são solução viável para descarbonizar os transportes». Assim, as organizações europeias apelam ao Parlamento Europeu e aos governos dos Estados Membros para se concentrarem nas soluções propostas.

O estudo explora vários cenários de desenvolvimento dos transportes e recomenda uma viragem urgente da política europeia no setor, colocando a prioridade sobre a eficiência energética e o maior desenvolvimento de tecnologias limpas, como os veículos elétricos. Uma das soluções apontadas foi o uso de biocombustíveis com menores impactes sociais e ambientais, chamados de segunda geração, ou seja, aqueles produzidos a partir de resíduos, como óleos alimentares usados e biogás proveniente de digestão anaeróbia de lixo urbano.

Segundo os ambientalistas, os Estados-Membros «podem cumprir as suas obrigações sem recorrer (ou com um recurso praticamente nulo) a biocombustíveis produzidos a partir de culturas agrícolas, como a soja, a colza e a palma», acrescentam.

Diretivas comunitárias fixam uma meta de incorporação de 10% de energias renováveis no setor dos transportes e a redução das emissões de gases com efeito de estufa dos combustíveis em 6%, até 2020.

 

Fonte: AutoFoco

Share.
Saiba mais sobre:   Atualidade

Leave A Reply